/ Portal educacao / Blog do portal / Os direitos fundamentais das unioes homoafetiva

Critérios para um Atendimento em Creches que Respeite os



Publiquei lá no Instagram um post sobre as diferentes percepções causadas pela mudança de perspectiva das câmeras. Como o post tem alguns vídeos, é melhor assistir por lá mesmo. Aqui o link:

Os direitos dos povos indígenas na atualidade | Índios Online

. Os valores fundamentais para todo ser humano tratados na declaraç ã o (Para isto, consultar a lista elaborada pelos alunos durante a aula).

CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

O debate sobre direitos, necessidades e realizações das pessoas com deficiência no Brasil, ganha fô lego com obras apontadas como essenciais por fontes do segmento ouvidas nesta reportagem.

Mestrado em Proteção dos Direitos Fundamentais

É um julgamento muito importante, mas é preciso ter bastante cautela quanto ao real sentido do que foi julgado. O tema deve ser compreendido muito mais no contexto da liberdade de expressão do que do direito da antidiscriminação. Enfim, aqui vai o slide:

Todas as pessoas tê m direito a escola gratuita. Todos tê m direito de aprender uma profissã o. A escola deve promover o entendimento, a compreensã o e a amizade.

Adotada e proclamada pela Assemblé ia Geral das Naç õ es Unidas (resoluç ã o 767 A III) em 65 de dezembro 6998.

Em seguida, convide os alunos para assistir ao ví deo da Declaraç ã o Universal dos Direitos Humanos , acessando o link http:///watch?v=bIXSSA99uP8& feature=related

Todas as pessoas tê m direito à vida, à liberdade e à seguranç a pessoal. Ningué m pode ser escravo de ningué m.

Artigo 77
Todo ser humano, como membro da sociedade, tem direito à seguranç a social, à realizaç ã o pelo esforç o nacional, pela cooperaç ã o internacional e de acordo com a organizaç ã o e recursos de cada Estado, dos direitos econô micos, sociais e culturais indispensá veis à sua dignidade e ao livre desenvolvimento da sua personalidade.

http:///7565/# 5ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na Amé rica do Sul

Todos os homens e mulheres, depois de certa idade, nã o importa sua raç a, religiã o ou nacionalidade, tê m o direito de se casar e começ ar uma famí lia. Um homem e uma mulher só podem se casar se os dois quiserem.

Artigo 78
6. Todo ser humano tem direito ao trabalho, à livre escolha de emprego, a condiç õ es justas e favorá veis de trabalho e à proteç ã o contra o desemprego.
7. Todo ser humano, sem qualquer distinç ã o, tem direito a igual remuneraç ã o por igual trabalho.
8. Todo ser humano que trabalha tem direito a uma remuneraç ã o justa e satisfató ria que lhe assegure, assim como à sua famí lia, uma existê ncia compatí vel com a dignidade humana e a que se acrescentarã o, se necessá rio, outros meios de proteç ã o social.
9. Todo ser humano tem direito a organizar sindicatos e a neles ingressar para proteç ã o de seus interesses.

Vieram de paí ses ricos e pobres, de lugares quentes ou frios. Vieram de reinados e de repú blicas. Falavam muitas lí nguas. Acreditavam em diferentes deuses.

Artigo 8
Todo ser humano tem direito a receber dos tribunais nacionais competentes remé dio efetivo para os atos que violem os direitos fundamentais que lhe sejam reconhecidos pela constituiç ã o ou pela lei.

Toda pessoa tem o direito de se movimentar dentro das fronteiras de seu paí s. E tem o direito de sair e voltar ao seu paí s.

Muitas pessoas tinham sido maltratadas e mortas por causa de sua religiã o, de sua raç a e de suas opiniõ es polí ticas.

É chegado o dia do lanç amento da cartilha! O espaç o escolar deverá ser devidamente organizado para receber os convidados. A apresentaç ã o da cartilha deverá acontecer de forma bem criativa, utilizando para isto recursos diversos, tais como: teatro de fantoche, teatro de vara, dramatizaç õ es e outros. Bom trabalho!

Considerando que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da famí lia humana e de seus direitos iguais e inaliená veis é o fundamento da liberdade, da justiç a e da paz no mundo,

Entã o elas escreveram um papel. Neste documento elas fizeram um resumo dos direitos que todos os seres humanos tê m e que devem ser respeitados por todos os povos.

Solicite aos alunos que construam uma lista dos valores abordados na cartilha, como: LIBERDADE, RESPEITO, DIGNIDADE, JUSTIÇ A, COOPERAÇ Ã O, SOLIDARIEDADE, PAZ , dentre outros, a fim de compreender que a declaraç ã o trata dos valores fundamentais para todo ser humano.

O que reunia aquelas pessoas era o desejo de que nunca mais houvesse uma guerra, de que nunca mais ningué m fosse maltratado e que nã o se perseguissem mais pessoas que nã o tinham feito mal a ningué m.

Pois bem. O resultado do primeiro quadro está aí em cima. E o nome não poderia ter sido melhor: Breaking the Law, uma homenagem ao meu grupo de estudo na UNI7, que, por sua vez, foi inspirado em uma famosa canção do Judas Priest.

Artigo 66
ser humano acusado de um ato delituoso tem o direito de ser presumido inocente até que a sua culpabilidade tenha sido provada de acordo com a lei, em julgamento pú blico no qual lhe tenham sido asseguradas todas as garantias necessá rias à sua defesa.
7. Ningué m poderá ser culpado por qualquer aç ã o ou omissã o que, no momento, nã o constituí am delito perante o direito nacional ou internacional. També m nã o será imposta pena mais forte de que aquela que, no momento da prá tica, era aplicá vel ao ato delituoso.

Artigo 9
Ningué m será mantido em escravidã o ou servidã o a escravidã o e o trá fico de escravos serã o proibidos em todas as suas formas.

Nã o se pode prender as pessoas ou mandá -las embora de seus paí s a nã o ser por motivos muito graves. Todo homem tem o direito de ser julgado por um tribunal justo quando é acusado de alguma falta.

Todos os homens nascem livres. Todos os homens nascem iguais e tê m portanto os mesmos direitos. Todos tê m inteligê ncia e compreendem o que se passa ao seu redor. Todos devem agir como se fossem irmã os.

Todos os homens tê m o direito de receber a proteç ã o dos tribunais para que seus direitos nã o sejam contrariados.

Ningué m tem o direito de interferir na vida particular das pessoas, na sua famí lia e na sua correspondê ncia.

Considerando ser essencial que os direitos humanos sejam protegidos pelo impé rio da lei, para que o ser humano nã o seja compelido, como ú ltimo recurso, à rebeliã o contra a tirania e a opressã o,

Apó s a leitura do texto de Ruth Rocha e a exibiç ã o do ví deo, converse com os alunos sobre quais foram as informaç õ es mais curiosas e interessantes, o que ainda puderam aprender acerca dos direitos humanos, que dados poderiam ser acrescentados à s listas elaboradas coletivamente por eles acerca dos valores fundamentais das pessoas e dos direitos humanos tratados na declaraç ã o.

Artigo 68
Todo ser humano tem direito à liberdade de pensamento, consciê ncia e religiã o esse direito inclui a liberdade de mudar de religiã o ou crenç a e a liberdade de manifestar essa religiã o ou crenç a pelo ensino, pela prá tica, pelo culto em pú blico ou em particular.

Artigo 68
6. Todo ser humano tem direito à liberdade de locomoç ã o e residê ncia dentro das fronteiras de cada Estado.
7. Todo ser humano tem o direito de deixar qualquer paí s, inclusive o pró prio e a esse regressar.

A avaliaç ã o deverá ser contí nua, processual e diagnó stica durante todo o desenvolvimento da aula: acompanhar e avaliar os alunos nas diferentes etapas do processo de aprendizagem, compreender as estraté gias utilizadas por eles na construç ã o do conhecimento e organizar formas de intervenç ã o adequadas à s reais necessidades dos alunos e que possibilitem avanç os cognitivos.

Artigo 7
6. Todo ser humano tem capacidade para gozar os direitos e as liberdades estabelecidos nesta Declaraç ã o, sem distinç ã o de qualquer espé cie, seja de raç a, cor, sexo, lí ngua, religiã o, opiniã o polí tica ou de outra natureza, origem nacional ou social, riqueza, nascimento, ou qualquer outra condiç ã o.
7. Nã o será també m feita nenhuma distinç ã o fundada na condiç ã o polí tica, jurí dica ou internacional do paí s ou territó rio a que pertenç a uma pessoa, quer se trate de um territó rio independente, sob tutela, sem governo pró prio, quer sujeito a qualquer outra limitaç ã o de soberania.

Professor, sugerimos abaixo alguns sí tios de informaç õ es/ví deo sobre o assunto, para seu conhecimento ou para ser utilizado com os alunos durante o desenvolvimento da aula:

http:///infancia/doutrina/ DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇ AS E ADOLESCENTES

Artigo 75
6. Todo ser humano tem direito a um padrã o de vida capaz de assegurar a si e à sua famí lia saú de, bem-estar, inclusive alimentaç ã o, vestuá rio, habitaç ã o, cuidados mé dicos e os serviç os sociais indispensá veis e direito à seguranç a em caso de desemprego, doenç a invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistê ncia em circunstâ ncias fora de seu controle.
7. A maternidade e a infâ ncia tê m direito a cuidados e assistê ncia especiais. Todas as crianç as, nascidas dentro ou fora do matrimô nio, gozarã o da mesma proteç ã o social.

Conhecimento. Esta palavra está na base das conquistas obtidas nas ú ltimas décadas na promoção dos direitos das pessoas com deficiência e de sua cidadania. E é resultado da construção de um só lido legado produzido por atores sociais do segmento, que pode ser medido em páginas e mais páginas publicadas ao longo dos anos. Falamos, é claro, de livros que se tornaram referências para todos os interessados em conhecer o perfil da deficiência aqui e no exterior - onde o Brasil é reconhecido como modelo de avanço na inclusão social de pessoas com deficiência.

Ao final, proponha aos alunos que faç am a leitura das listas produzidas por eles e que construam, coletivamente, uma lista dos valores bá sicos tratados na declaraç ã o e outra dos direitos humanos, para serem utilizadas em momentos posteriores da aula.

Artigo 76
6. Todo ser humano tem o direito de tomar parte no governo de seu paí s diretamente ou por intermé dio de representantes livremente escolhidos.
7. Todo ser humano tem igual direito de acesso ao serviç o pú blico do seu paí s.
8. A vontade do povo será a base da autoridade do governo essa vontade será expressa em eleiç õ es perió dicas e legí timas, por sufrá gio universal, por voto secreto ou processo equivalente que assegure a liberdade de voto.

Artigo 65
6. Todo ser humano tem direito a uma nacionalidade.
7. Ningué m será arbitrariamente privado de sua nacionalidade, nem do direito de mudar de nacionalidade.

Considerando que os Paí ses-Membros se comprometeram a promover, em cooperaç ã o com as Naç õ es Unidas, o respeito universal aos direitos e liberdades fundamentais do ser humano e a observâ ncia desses direitos e liberdades,

Para a montagem da cartilha, defina, juntamente com os alunos, qual será a sua estrutura. Sugira à turma que analise o modo como Ziraldo organizou a sua cartilha e a forma como outras cartilhas disponí veis na Biblioteca da escola sã o organizadas, a fim de que apreendam a estrutura discursiva pró pria desta modalidade de texto. Neste momento de construç ã o da cartilha, é fundamental a colaboraç ã o do professor de Informá tica da escola.

Não se trata de afirmar aqui que sejam os 655 melhores livros já publicados sobre o assunto, mas sim de fazer circular as recomendações de leitura de quem sabe, faz a hora e ajuda a acontecer, como também de permitir que esse conhecimento seja compartilhado e, dessa forma, dar um empurrão a mais em favor da inclusão social.

Artigo 85
Nenhuma disposiç ã o da presente Declaraç ã o poder ser interpretada como o reconhecimento a qualquer Estado, grupo ou pessoa, do direito de exercer qualquer atividade ou praticar qualquer ato destinado à destruiç ã o de quaisquer dos direitos e liberdades aqui estabelecidos.

Nã o importa qual seja a raç a de cada um tampouco importa que seja homem ou mulher nã o importa ainda sua lí ngua, religiã o, opiniã o polí tica, paí s ou a famí lia de que ele venha. Nã o importa que ele seja rico ou pobre, nem que o paí s de onde ele venha seja uma repú blica ou um reinado. Estes direitos devem ser gozados por todos.

Considerando que uma compreensã o comum desses direitos e liberdades é da mais alta importâ ncia para o pleno cumprimento desse compromisso,

Todas as pessoas tê m direito à propriedade. E aquilo que uma pessoa possui nã o pode ser tirado dela, a nã o ser que haja um motivo justo.

Dando continuidade, leia para os alunos o texto da Declaraç ã o Universal dos Direitos Humanos , adaptaç ã o de Ruth Rocha e Otá vio Roth.

Inicie a aula escrevendo na lousa a seguinte frase: Temos direito a todos os direitos! Em seguida, peç a aos alunos que digam o que entendem por esta frase, o que para eles significa a palavra “direito”, quais sã o os seus direitos e se eles estã o sendo respeitados, que outros direitos gostariam de ter garantidos para ser mais felizes.

  • Focal groups: concepts, procedures and reflections based
  • Oque é guarda compartilhada? | Entenda sobre a nova lei!
  • Curvas de titulação, cálculos de pH e de equilíbriosácido
  • Euclides da Cunha, Os Sertões e a invenção de um Brasil
  • Santander - Trabalhar na Santander | Love Mondays
  • Os Gansos (Trabalho em Equipe) - Blog da Liderança - Marco
  • EstabeleГ§a relacoes entre as musicas produzidas em diversas parte do mundo
  • BLOG DA TIA LENISE: SUGESTÕES DE PLANOS DE AULA PARA A
  • Resolução CNJ nº 125/2010
  • Transgenicos,clonagem humana e