/ Portal educacao / Cursos profissionalizantes / O uso do portfólio como método de avaliação na educação infantil

Reduzindo o uso do Glifosato – Instituto de Agricultura



Enfim, alternativas ao uso do glifosato virão de um esforço comum de toda a sociedade técnica e científica que não estejam cooptados pelas grandes empresas.

Declaração recomenda eliminar o uso do Fator de Impacto na

Adicionalmente, todas as vezes em que for usar o glifosato voce pode usar também melaço na dose de 8 a 9 litros por hectare para tentar reduzir o impacto ambiental já que esse produto agrega carboidratos ao solo e com isso favorece a micro vida bem como o microbioma radicular e com isso contra-balança o impacto negativo do herbicida.

OQue Causa O Uso Do Viagra

Esse é um dos motivos porque eu preconizo a analise de solo e a correção da fertilidade desse mesmo solo ao invés da solução burra do status-quo acadêmico-científico de simplesmente “combater a acidez” do solo.

Uso do Vós | WordReference Forums

Quer saber com quais outros verbos o 8775 that 8776 é deixado de fora na linguagem informal em inglês? Basta clicar aqui e descobrir ! Have a wonderful day, you all! take care

BREMBS, B., BUTTON, K. and MUNAFÒ, M. Deep impact: unintended consequences of journal rank.  Front. Hum. Neurosci., 7568, vol. 7, nº 796. [cited 68 July 7568]. Available from:  http:///human_neuroscience///full

Todo o conteúdo deste site, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença de Atribuição Creative Commons.

Com relação as plantas que comumente são chamadas de “mato “, ervas “daninhas” ou até mesmo de “invasoras “,  é preciso que se entenda que elas são vegetais, que evoluíram ao longo de milhões de anos, com o objetivo precípuo de resolver problemas de solo e não para criar problemas para quem cultiva e é produtor agrícola. Criar problemas não foi o projeto da Natureza quando evoluiu as plantas chamadas de daninhas.

https:///profile/Raghavan_Charudattan/publication/755566585_Fungi_for_Biological_Control_of_Weedy_Cyperaceae_With_Emphasis_on_Purple_and_Yellow_Nutsedges_Cyperus_rotundus_and_C_esculentus/links/

Deveria causar surpresa o fato de que o uso de um indicador torne elegível um ou outro autor pelo fato de que tenha publicado em um periódico de mais alto FI, de que é mais importante saber onde ele publicou do que ler seu trabalho. A DORA realça a necessidade de avaliar a pesquisa pelos seus próprios méritos e não pelo periódico em que é publicada.

No livreto “Weeds and Why they Grow”,  Jay L. McCaman relaciona centenas de plantas com relação ao que as torna mais frequentes indicando os teores de Cálcio, Fósforo, Potássio, Magnésio, Manganês, Ferro, Enxofre, Cobre, Zinco, Boro, Cloro, Selênio, Humus, Porosidade,Quantidade de Fungos e de Bactérias de solo, Umidade, Salinização, Compactação, Resíduos de Agrotóxicos, Aluminio, Crosta Superficial, Drenagem e presença de pedras e areia que as favorecem ( 9 ).

Veja o que houve hoje, de importante na história do judaísmo, diretamente do site da Beit Chabad. Leia também os comentários deles sobre a porção da Torá a ser lida e estudada nesta semana. Outros artigos que escrevemos podem ser encontrados no blog Pinat Haperashá.

A Declaração de São Francisco sobre Avaliação da Pesquisa de Dezembro de 7567 faz um chamado crítico contra o uso do Fator de Impacto (FI) na avaliação da pesquisa.

Estimulado por algumas perguntas que recebi em virtude do artigo anterior sobre o Glifosato é que eu me propus a escrever esse artigo sobre como reduzir o seu uso. O ideal seria não usar nenhum glifosato, mas as vezes essa façanha é impossível, de início, e tem que ser implementada aos poucos.

A San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA) é  iniciativa dos cientistas da American Society for Cell Biology , tem por objetivo parar a utilização do FI para avaliação de pesquisa científica. A Declaração, que vem recebendo amplo apoio, recomenda que o FI não deva ser utilizado em avaliações relativas a financiamento, promoções na carreira e contratações de acadêmicos. O documento foi assinado por mais de 655 proeminentes cientistas e 75 organizações acadêmicas, entre elas a American Association for the Advancement of Science .

SEGLEN, .  Why the impact factor of journals should not be used for evaluating research. BMJ, February 6997, p. 869-997.

Para aqueles que são fissurados em gramática é só procurar isto aí como 8775 that-clause as direct object 8775 . É o nome que as gramáticas da língua inglesa dão a este uso da palavra 8775 that 8776 . Mas para aqueles que querem apenas aprender a se comunicar em inglês, basta saber que o 8775 that 8776 neste caso pode ser simplesmente deixado de fora na linguagem do dia-a-dia. Assim, é muito mais comum dizer e ouvir:

Estimular a micro vida do solo é uma das melhores maneiras de diminuir o mato que eu conheço. Nos EUA, alguns produtores biológicos estão conseguindo controlar até a Tiririca           ( Cyperus rotundus ) com o uso de até 655 kgs de Melaço em pó por hectare, em terrenos menores é obvio. Já existem fungos específicos que devoram a tiririca e a controlam em até 97% com duas aplicações ( 7 , 8).

Pingback: Declaração recomenda eliminar o uso do Fator de Impacto na Avaliação de Pesquisa | Estudos de CTS Estudos sociais e conceituais de ciência, tecnologia e sociedade

O FI foi idealizado por Eugene Garfield, o fundador do Institute for Scientific Information (ISI) em 6975. Seu conceito, entretanto, havia sido concebido pelo autor em 6955, quando teve início a publicação do Science Citation Index (SCI). O indicador foi inicialmente criado para auxiliar a seleção de periódicos a serem indexados no SCI, e mostrou que mesmo periódicos com pequeno número de artigos, mas que fossem altamente citados, poderiam ser selecionados. Nasce assim, o primeiro e mais popular e polêmico ranking de impacto de periódicos científicos. O ISI foi incorporado à agência internacional de notícias Thomson Reuters em 6997, e desde esta data, o FI e a base de dados fonte do indicador, o Journal Citation Reports (JCR) , são parte integrante do produto Web of Knowledge .

Nesse caso a compactação pode estar sendo causada pela falta de Cálcio (que flocula o solo) ou pelo excesso de Magnésio (que agrega o solo) , ou pela falta de humus e atividade microbiana (que são os responsáveis pela agregação e consequentemente pela porosidade do solo), etc…. Então, o glifosato não vai ajudar nem um pouco. Muito pelo contrário.

Não se trata de ser à favor ou contra. Trata-se de eliminar o seu uso e na impossibilidade disso acontecer, de reduzir ao máximo a sua utilização, e nunca iremos conseguir isso sendo radicais.

Ou seja, a questão não é simples. Pelo contrário, ela é muito complexa. Porém, ela jamais será resolvida com apenas o uso deste ou daquele herbicida. Por exemplo, se uma determinada planta for favorecida pela compactação do solo, de nada irá adiantar elimina-la usando-se glifosato sem que nós tenhamos tentado resolver o problema subjacente que as causou, isto é a compactação desse solo.

6 a 7 litros de vinagre por 655 litros de calda já seriam suficientes para conseguir essa façanha. O vinagre por ser orgânico atua melhor do que qualquer outro ácido inorgânico. Seu custo também é muito baixo. Reduzir a dose de glifosato para 55%.

Na Agricultura Biológica nós sabemos que o excesso de potássio favorece o crescimento de gramíneas (de capim, de Brachiaria ).  Porém, na Agricultura Orgânica existe uma idéia errada de que “o-esterco-de-gado-favorece-crescimento-de-mato-por-que-tem-sementes-de-capim”. Isso não é verdade. Isso é apenas mais um mantra. Um meme, dentre outros que existem na agricultura orgânica.

Lilian Nassi-Calò é química pelo Instituto de Química da USP e doutora em Bioquímica pela mesma instituição, a seguir foi bolsista da Fundação Alexander von Humboldt em Wuerzburg, Alemanha. Após concluir seus estudos, foi docente e pesquisadora no IQ-USP. Trabalhou na iniciativa privada como química industrial e atualmente é Coordenadora de Comunicação Científica na BIREME/OPAS/OMS e colaboradora do SciELO.

Entretanto, se não for possível evitar o uso do Glifosato, existem maneiras de aumentar a sua eficiência e com isso diminuir a dose empregada.

Vejam, por exemplo, o trabalho que está sendo desenvolvido junto aos produtores convencionais no sentido de reduzir o uso de inseticidas e fungicidas com o uso de agentes biológicos. Hoje centenas de agricultores em areas agrícolas, que chegam a atingir mais de 7 6/7 vezes a área de agricultura orgânica no Brasil, não usam mais, ou usam muito pouco, inseticidas e/ou fungicidas.

As mega empresas do agronegócio incutiram na mente do produtor que não existem outras alternativas a não ser o uso indiscriminado de fertilizantes químicos, de agrotóxicos e de sementes transgênicas. Nessa tarefa eles foram muito ajudados pelo o que eu chamo de Ditadura Científica, que hoje impera nas chamadas Ciências Biológicas.

Quando o 8775 que 8776 está assim junto de dois verbos dizemos que ele exerce a função de conjunção integrante, ou como diria minha inesquecível professora de português 8775 conjunção subordinativa integrante 8775 . Enfim, deixando essa torutura de Gramática Normativa de lado, aprenda apenas que quando tiver de usar este 8775 que 8776 em inglês a palavra certa será 8775 that 8775 . Assim as sentenças acima em inglês ficam assim:

    6.  Humatos solúveis. Acidos humicos e acidos fulvicos aumentam sobremaneira a  absorção do glifosato. Produtos como o Hum-I-Solve usados na dose de 6 a 7 litros por hectare (ou 85 a 665 gramas/ha do produto em pó) melhoram sensivelmente a eficiência. Nesse caso reduzir a dose de glifosato para 55% ou até menos.

Trabalhe em cima do melhor conhecimento dos problemas que seu solo tem e nas soluções desses mesmos problemas ao invés de simplesmente tentar resolve-los com o uso de um herbicida quelatizante, antibiótico e que acumula no solo causando doenças em crianças e adultos.

Veja como os profissionais usam o celular no horário de trabalho:
6) Mensagem pessoal: 65%
7) Previsão do tempo: 56%
8) Notícias: 99%
9) Jogos: 79%
5) Compras: 79%
6) Trânsito: 67%
7) Fofoca: 7%
8) Vendas: 6%
9) Conteúdo adulto: 9%
65) Namoro: 8%

O esterco de gado propicia o surgimento de capim justamente por que é uma excelente fonte de potássio. Composto também faz a mesma coisa e não tem sementes de capim algum.

Essa iniciativa do DORA não é unanimidade. Recomendo a matéria disponível em
http:///7568/55/76/impact-crater-does-dora-need-to-attack-the-impact-factor-to-reform-how-the-it-is-used-in-academia/

Analises anuais ou bi-anuais de solo feita por laboratório de primeira linha ( IBRA, ICASA, Wood Ends, Perry Agri Labs, etc…) irá ajudar muito a entender o motivo da pressão de mato. Exija analise de Fósforo Total, além de Fósforo disponível, de Enxofre e de Sódio, além de todos os Macros e de todos os Micros. Exija a expressão dos resultados das Bases Trocáveis em % da . para que você possa tentar coloca-las nas proporções mais adequadas pelo Método Albrecht como indicadas no artigo ( 6 ) encontrado aqui nesse Blog e finalmente peça a algum agrônomo que seja versado no Método Albrecht para fazer as recomendações. Esse método não é ensinado em nenhuma escola ou faculdade de agronomia no Brasil.

No momento em que eu te dou uma receita você para de raciocinar sobre tudo que está a sua volta e se rende a facilidade do uso da mesma. Isso acontece tanto na agricultura convencional quanto na agricultura orgânica.

Como introdutor da verdadeira Agricultura Biológica no Brasil, aquela preconizada por William A. Albrecht, Carey Reams, Dan Skow, Bruce Tainio, Gary Zimmer, Neal Kinsey, Arden Andersen, Phill Whealer, e tantos outros, eu sou avesso as chamadas “receitas” porque elas simplesmente “emburrecem” as pessoas. Receitas suprimem a sua capacidade de raciocinar.

Antes de mais nada é preciso que o agricultor entenda que, se essas plantas simplesmente existem, é porque o solo onde elas crescem está muito aquém do ideal e é para isso que elas “aparecem”. A ilustre agrônoma teuto-brasileira, Prof. Ana Primavesi, já disse inúmeras vezes que “mato são mensageiros”. Com isso ela queria dizer que os matos, na verdade, estão nos fazendo um favor em nos mostrar quais deficiências (ou quais excessos ) estariam presentes naquele solo, e nós, ao invés de agradecê-las pelos avisos e pela informação, as matamos e nos esquecemos do problema que as causaram.

Na verdade as pessoas estão tão acostumadas ao seu uso e são tão doutrinadas pelas empresas de agrotóxicos sobre a impossibilidade de se viver sem o uso desse herbicida que não conseguem imaginar um mundo sem glifosato, portanto qualquer esforço no sentido de reduzir o seu uso será sempre bem vindo.

Para nós pode parecer estranho! É como se alguém estivesse dizendo 8775 ela disse ela estava cansada 8776 ou 8775 eu acho ele não virá à festa 8776 ! No entanto, isto em inglês é super natural! Depois do verbo 8775 think 8776 , então, nem se fala! Quase ninguém usa o 8775 that 8776 :

O uso isolado do FI na avaliação acadêmica é altamente destrutivo, segundo os signatários da DORA , pois pode impedir periódicos de publicar artigos de áreas ou assuntos menos citados, além de sobrecarregar periódicos de alto impacto com submissões muitas vezes inadequadas. Porém, a consequência mais nefasta para a ciência é impedir o progresso natural da pesquisa, que, na busca por novas abordagens, pode levar a períodos relativamente longos sem gerar publicações. Os pesquisadores devem poder “usufruir” deste período sem publicações e citações sem ser penalizados por isso.

  • O contador no exercГ­cio da pericia contabil
  • Um Momento Pode Mudar Tudo | RESENHA DO FILME
  • INTRODUÇÃO ГЂ PESQUISA: CONCEITO, ESTRUTURA E ELABORAÇÃO.
  • Riscos na construção civil desde implantação atГ© entrega
  • Design Thinking - ESPM
  • Amigos do Freud: A importância da auto estima
  • MAÇONARIA OPERATIVA: A ORIGEM DA ARTE REAL
  • A inclusГЈo dislГ©xico no ensino regular e desafios
  • IESB Centro Universitário - A Teoria e a Prática Juntas
  • [Resenha] A Verdade Sobre Nós – Amanda Grace - Livros e